Cromo (Cr)

 PERÍCIAS TÉCNICAS

BOLETIM TÉCNICO – 66

O cromo (CAS 7440-47-3) é usado na fabricação de ligas como a aço-cromo ou aço-níquel-cromo. É usado, também, na cromagem de outros metais, no curtimento a cromo e em catalisadores. Ocorre em minérios de cromita.

POSSÍVEIS RISCOS À SAÚDE

A toxicidade das ligas e compostos de cromo varia significativamente. O metal cromo não tem toxicidade. Compostos bi e trivalentes do cromo tem toxicidade de baixo nível. A exposição à poeira de cromita ou de ligas de ferro-cromo pode causar doenças pulmonares, incluindo a pneumoconiose e fibrose pulmonar.

Entre todos os compostos do cromo, apenas os sais hexavalentes são importantes riscos para a saúde.

O Cr6+ é mais facilmente assimilado pelas células do que qualquer outro estado de valência do metal. A exposição ocupacional a estes compostos pode causar úlcera, dermatite, perfuração dos septos nasais e lesões renais. Causa reações de hipersensibilidade na pele e necrose tubular renal. Exemplos de sais hexavalentes são os cromatos e dicromatos de sódio, potássio e de outros metais. Os sais de cromo hexavalentes solúveis em água são absorvidos pela corrente sanguínea através da inalação. Muitos compostos de cromo (VI) são carcinogênicos, causando câncer pulmonar em animais e seres humanos. a carcinogenicidade pode ser atribuída à conversão intracelular do Cr6+ para Cr3+, que é biologicamente mais ativo. O íon Cr trivalente pode se ligar ao ácido nucleico e assim iniciar a carcinogênese.

A American Conference of Governmental Industrial Hygienists (ACGIH – 2017) estabelece os seguintes limites de exposição:

  • Cromo (metal), compostos inorgânicos e compostos de cromo III: 0,5 mg/m³;
  • Compostos do Cr VI (solúveis em água): 0,05 mg/m³;
  • Compostos do Cr VI (insolúveis): 0,01 mg/m³.

A Portaria nº 3.214/78 do MTE, em sua NR-15 – ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES, anexo nº 13, assim registra:

AGENTES QUÍMICOS

  1. Relação das atividades e operações, envolvendo agentes químicos, consideradas insalubres em decorrência de inspeção realizada no local de trabalho. Excluam-se desta relação as atividades ou operações com os agentes químicos constantes dos Anexos 11 e 12.

CROMO

Insalubridade de grau máximo

Fabricação de cromatos e bicromatos.

Pintura a pistola com pigmentos de compostos de cromo, em recintos limitados ou fechados.

Insalubridade de grau médio

Cromagem eletrolítica dos metais.

Fabricação de palitos fosfóricos à base de compostos de cromo (preparação da pasta e trabalho nos secadores).

Manipulação de cromatos e bicromatos.

Pintura manual com pigmentos de compostos de cromo em recintos limitados ou fechados (exceto pincel capilar).

Preparação por processos fotomecânicos de clichês para impressão à base de compostos de cromo.

Tanagem a cromo.

CROMATOS E DICROMATOS

Cromatos e dicromatos são sais do ácido crômico e ácido bicrômico, respectivamente. Os sais derivados destes ácidos apresentam, respectivamente o ânion cromato e dicromato.

Exemplos muito comuns e de variadas aplicações são o cromato de sódio, cromato de potássio, dicromato de sódio e dicromato de potássio.